"HALL OF FAME" - CONFIRA A CLASSIFICAÇÃO GERAL AQUI:

NÃO SOU CADASTRADO                                                         NÃO LEMBRO A SENHA/USUÁRIO
usuario: senha:

OBJETIVA: (417793 votos)..........91.23% das questões objetivas receberam votos.
Um escolar de 9 anos é levado ao pronto-socorro devido ao quadro de perda de equilíbrio e alteração visual há 1 dia. A mãe refere que, há 2 semanas, o menor cursou com infecção virai das vias aéreas superiores com remissão após o uso de xarope. O exame neurológico evidenciou ataxia, oftalmoplegia (paralisia do olhar vertical) e arreflexia. O estudo do liquor após 10 dias de internação revelou 3 células (84% linfócitos, 6% neutrófilos e 10% monócitos), proteína = 120 e glicose = 50. A ressonância magnética de crânio não revela anormalidades. 0 provável diagnóstico é:
A. síndrome de Miller Fisher
B. ataxia cerebelar aguda
C. encefalomielite pós-infecciosa
D. encefalopatia mioclônica
E. esclerose múltipla

  RATING: 3.03

Um escolar de 9 anos é levado ao pronto-socorro devido ao quadro de perda de equilíbrio e alteração visual há 1 dia. A mãe refere que, há 2 semanas, o menor cursou com infecção virai das vias aéreas superiores com remissão após o uso de xarope. O exame neurológico evidenciou ataxia, oftalmoplegia (paralisia do olhar vertical) e arreflexia. O estudo do liquor após 10 dias de internação revelou 3 células (84% linfócitos, 6% neutrófilos e 10% monócitos), proteína = 120 e glicose = 50. A ressonância magnética de crânio não revela anormalidades. 0 provável diagnóstico é:

A. síndrome de Miller Fisher
CORRETO: A síndrome de Miller Fisher apresenta a tríade oftalmoplegia, ataxia e arreflexia e, em muitas situações pode ser confundida com a doença de Guillian-Barré ou com a encefalite de Bickerstaff, em que ocorre um acometimento dos níveis de consciência. A doença tem caráter progressivo e associa-se com uma dissociação proteico-citológica no liquor. Na anamnese, em cerca de 70% dos casos, encontrou-se historia de infecção do trato respiratório ou mesmo do trato gastrintestinal precedendo o quadro (10 dias em média)
B. ataxia cerebelar aguda
INCORRETO : A ataxia cerebelar aguda não é uma entidade clínica isolada, mas um espectro de sintomas ou sinais neurológicos, definindo-se como a incapacidade para realizar movimentos finos, precisos e coordenados.
O diagnóstico inicial é clínico e seus critérios repousam na identificação das expressões semiológicas da ataxia assim descritas: desequilíbrio da marcha ou marcha de base alargada (ataxia da marcha); tremor dos movimentos durante a realização de atividades intencionais (tremor intencional); tremor dos movimentos de aproximação (dismetria); tremor do aparelho fonatório com perda de nitidez da articulação da fala (disartria); incapacidade de realização rápida de movimentos alternantes - adiadococinésia); e movimentos oculares de oscilação lenta ou rápida, horizontais ou verticais (nistagmo)

C. encefalomielite pós-infecciosa
INCORRETO : A encefalite pós-infecciosa, também conhecida como encefalomielite disseminada aguda (EMDA), é uma doença desmielinizante aguda que se pensa representar uma complicação imunomediada de infecção, e não uma infecção virai direta do SNC. A apresentação clínica é de confusão, crises convulsivas, cefaléias e febres. Pode ocorrer ataxia. O envolvimento da medula espinhal pode levar à paraplegia ou tetraplegia. Os vírus mais comuns implicados são os do sarampo, da rubéola, da varíola e da varicela. E vista, ocasionalmente, depois de vacinação ou infecções respiratórias não-descritivas. Muitas vezes, RM demonstra lesões na substância branca do cérebro, cerebelo e tronco cerebral, enquanto a TC é normal ou não-diagnóstica. As lesões podem ser focais e envolver a substância branca profunda e subcortical. O envolvimento da substância cinzenta profunda também já foi relatado.
D. encefalopatia mioclônica
INCORRETO : A encefalopatia mioclônica corresponde a uma grave encefalopatia epiléptica rara, porém com incidência desconhecida em nosso meio, que afeta ambos os sexos indistintamente, caracterizada clinicamente por crises epilépticas de difícil controle medicamentoso do tipo mioclonias fragmentadas (envolvendo um segmento corporal, um membro, músculos faciais ou podem ser restritas às pálpebras) e mioclonias maciças (bilaterais e geralmente envolvendo os quatro membros de forma simultânea).
As crises têm início bastante precoce, geralmente nos primeiros dias ou mesmo nas primeiras horas de vida e tendem a ser muito frequentes ou mesmo contínuas, inclusive, permanecendo durante o sono do recém nascido. Podem ocorrer, ainda, crises parciais simples com manifestações clônicas, crises tônicas generalizadas, crises tônicas focais e espasmos. Desvios tônicos do olhar para cima podem representar crises epilépticas isoladas, embora em muitos casos estejam associados a espasmos epilépticos simultâneos. Crises epilépticas com fenômenos autonômicos são observadas com relativa frequência, destacando-se apneias, rubor facial e cianose labial paroxística.
Embora a literatura classicamente relacione a encefalopatia mioclônica precoce a quadros de distúrbios metabólicos, particularmente a hiperglicinemia não-cetótica, a maioria dos casos decorre de lesões cerebrais estruturais graves e extensas, quer de etiologia congênita quer adquirida. Embora se trate de uma doença de baixa incidência na população geral, todas as crianças com esse diagnóstico devem ser submetidas à coleta de líquido cefalorraquidiano, uma vez que a hiperglicinemia não-cetótica é confirmada pelo aumento dos níveis de glicina no líquor. A maior parte das crianças apresenta exame neurológico francamente anormal já ao nascimento, embora algumas possam ser normais nos primeiros dias de vida. De todo modo, a deterioração neurológica é precoce e acelerada, sendo estimada taxa de mortalidade ao redor de 50% até o final do primeiro ano de vida.

E. esclerose múltipla
INCORRETO : A esclerose múltipla (EM) é uma doença degenerativa auto imune que provoca falhas na conexão entre os neurônios. Entre as consequências estão a perda de movimentos de partes do corpo, perda de equilíbrio,depressão, dormência da parte dos corpos entre outros. Não se sabe a causa da doença e por isso ainda não se conhece a cura, mas pode ser revertida de acordo com o caso e tratamento adequado.

Gabarito:  A

AVALIE ESSA QUESTÃO: (3.03)
DISCURSIVA: (91373 votos) ..........100% das questões discursivas receberam votos.
A 1ª hora de atendimento ao paciente pediatrico em choque séptico tem alto impacto em morbi-mortalidade. Para isso, é recomendado o atendimento sistematizado, em sala de emergência.

1) Quais são, conforme o protocolo, os patrâmetros que devem ser monitorizados? 0,3 pontos

2) Após a monitorização quais são os principios basicos de atendimento? 0,2 pontos



RATING: 3.04

A 1ª hora de atendimento ao paciente pediatrico em choque séptico tem alto impacto em morbi-mortalidade. Para isso, é recomendado o atendimento sistematizado, em sala de emergência.

1) Quais são, conforme o protocolo, os patrâmetros que devem ser monitorizados? 0,3 pontos

2) Após a monitorização quais são os principios basicos de atendimento? 0,2 pontos

1) Quais são, conforme o protocolo, os patrâmetros que devem ser monitorizados? 0,3 pontos

  1. Oximetria de pulso continua; - 0,05 p
  2. Monitorização cardiaca: ECG contínuo; - 0,05 p
  3. Controle de pressão arterial (PA) 15/15min; - 0,05 p
  4. Monitorização de temperatura; - 0,05 p
  5. Monitorização de débito urinário (h/h); - 0,05 p
  6. Ecocardiograma funcional; - 0,05 p

2) Após a monitorização quais são os principios basicos de atendimento? 0,2 pontos

  1. Ofertar oxigênio de alto fluxo (máscara não reinalante ou cateter nasal de alto fluxo se disponível) - 0,025 p;
  2. Coleta de exames: Gasometria e Lactato (arterial ou venoso), Glicemia, Cálcio iônico, Na, K, HMG completo, INR HMC e culturas direcionadas ao foco infeccioso. Paciente com cateter: HMC central e periférica. - 0,025 p;
  3. Em recém-nascidos (RNs): LCR e UI/UROC - 0,025 p;
  4. Obtenção de acesso venoso ou intra-ósseo - 0,025 p;
  5. Ressuscitação volêmica: 40 - 60 ml/kg, atentando para sobrecarga de volume (estertores pulmonares, hepatomegalia e ritmo de galope). - 0,025 p;
  6. Antibioticoterapia de amplo espectro, de acordo com foco infeccioso - 0,025 p;
  7. Correção de hipoglicemia e/ou hipocalcemia - 0,025 p;
  8. Introdução precoce de inotrópico - 0,025 p;

FONTE:
PROTOCOLO DO CHOQUE SEPTICO PEDIATRICO - HOSPITAL ISRAELITA "ALBERT EINSTEIN"

AVALIE ESSA QUESTÃO: (3.04)

CASO CLINICO: (96518 votos)..........100% dos casos clinicos receberam votos.
T.P.S. 11 meses, branca, natural e procedente de São Paulo, SP.
Queixa:
Olhos inchados há 5 dias. Mãe refere que a criança iniciou com dor, vermelhidão e secreção purulenta em ambos os olhos há 5 dias e progressivamente passou a apresentar edema bipalpebral e bilateral, irritabilidade, febre e recusa alimentar.
A febre tem-se manifestado desde o segundo dia de doença, com picos entre 38,5* a 39°C, 2 a 3 vezes ao dia, cedendo com dipirona. Entretanto a criança se mantém apática, irritada, sem se alimentar mesmo nos períodos em que se encontra afebril.
Nega sintomas respiratórios agudos ou gastrointestinais associados.

Gestação e Parto: Criança é fruto de primeira gestação. Mãe realizou pré-natal que transcorreu sem patologias, parto cesárea por desporoporção céfalo-pélvica. Idade gestacional 39 semanas PN = 2.900g Comp = 49 cm. Apgar de 9 e 10.
Alimentação: Recebeu leite materno somente no primeiro mês de vida porque o leite secou. A partir de então usou fórmulas lácteas alternadas com leite fluido. Alimentação com frutas e papa de legumes desde os 4 meses. Atualmente recebe dieta da família, almoço e jantar com legumes, carne arroz e feijão ou similares diariamente, frutas 2 vezes ao dia e leite integral 200ml 3 vezes ao dia.
Vacinação: segundo a mãe completa, não trouxe a carteira de vacinação.
DNPM: senta sem apoio e está tentando engatinhar. "Prefere ficar no berço brincando" (sic).
Patologias anteriores: Diarréia aguda e desidratação por duas vezes aos 2 meses e aos 7 meses, ambas com internação para hidratação, alta sem complicações.

Antecedentes familiares: mãe 25 anos saudável tabagista de 1 maço de cigarros por dia. Pai 30 anos, saudável, tabagista. Condições sociais e de moradia: Casa de alvenaria com 3 cômodos, onde moram a mãe, o pai e a criança, em região urbana com saneamento básico, sem animais domésticos, ensolarada. A criança permanece sempre em casa com a mãe, não freqüenta a creche. Eventualmente fica com a avó materna quando a mãe faz algum serviço de limpeza em casa de família. Renda familiar de dois salários mínimos aproximadamente.
Exame Físico:
Paciente em regular aspecto geral, descorada +/4+, hidratada, acianótica, anictérica, eupnéica e afebril, sem edemas, com perfusão periférica normal, sem adenomegalias.
Peso = 8.600 g Comp = 72 cm FC = 110 bpm FR - 32 ipm T= 36.8° C
Segmento cefálico: edema de pálpebras inferiores e superiores bilateral 4+/4+, com hiperemia e calor locais e dor à palpação. Impossibilidade de verificar região de conjuntivas e córnea em razão ao edema.

Orofaringe e otoscopia normais.
Tórax : sem anormalidades.
ACV: ritmo cardíaco regular a 2 tempos, sem sopros
AR: Murmúrio Vesicular presente sem ruídos adventícios
Abdome: plano flácido sem visceromegalias.
Membros: normais
Neurológico: discreta rigidez de nuca. chorosa à flexão do pescoço.

1) Quais são os diagnosticos dessa criança? 0,2 pontos;

2) Qual é a conduta inicial neste caso? 0,2 pontos;

3) Quais são as avaliações á ser feitas em seguida? 0,1 pontos


RATING: 3.09

1) Quais são os diagnosticos dessa criança?

Os diagnósticos iniciais foram:
- Desenvolvimento ponderoestatural adequado (0,05 p)
- Desenvolvimento neuropsicomotor atrasado (0,05 p)
- Vacinação adequada (?) (0,05 p)
- Alimentação atual adequada (0,05 p)
- Celulite periorbitária bilateral. (0,05 p)

2) Qual é a conduta inicial neste caso?

Em razáo da gravidade do processo infeccioso, foram coletados hemograma (0,025 p), hemocultura (0,025 p), LCR (0,025 p), bioquímica de sangue (0,025 p) e tomografia de órbitas (0,025 p).

O tratamento inicial foi dieta para a idade (0,025 p), ceftriaxone 100mg/kg/dia (0,025 p), sintomáticos. (0,025 p)

3) Avaliação oftalmologica (0,1 p)

AVALIE ESSE CASO CLINICO: (3.09)

 

1389 USUARIOS INSCRITOS

276 PROVAS FEITAS POR ASSINANTES

725 RECADOS DOS VISITANTES

NOSSO BANCO DE PROVAS TEM:
7846 QUESTÕES OBJETIVAS, PRECISAMENTE:

1858 DE CLINICA, 3570 DE PEDIATRIA, 1303 DE CIRURGIA, 234 DE OBSTETRICA-GINECOLOGIA, 630 DE SAUDE PUBLICA
118 QUESTÕES DISSERTATIVAS E 140 CASOS CLINICOS

Todos os direitos reservados. 2020.
O site misodor.com está online desde 04 de novembro de 2008
O nome, o logo e o site misodor são propriedade declarada do webmaster
Qualquer conteudo deste site pode ser integralmente ou parcialmente reproduzido, com a condição da menção da fonte.