"HALL OF FAME" - CONFIRA A CLASSIFICAÇÃO GERAL AQUI:

NÃO SOU CADASTRADO                                                         NÃO LEMBRO A SENHA/USUÁRIO
usuario: senha:

OBJETIVA: (418809 votos)..........91.08% das questões objetivas receberam votos.
Facilita(m) o desenvolvimento da hipertrofia pilórica:
A. o deficit de substância P
B. a hipersecreção de gastrina
C. hipersecreção de neurotrofinas
D. excesso de óxido nítrico sintase
E. todas acima enumeradas

  RATING: 5

Facilita(m) o desenvolvimento da hipertrofia pilórica:

A. o deficit de substância P
INCORRETO: veja a resposta da alternativa B
B. a hipersecreção de gastrina
CORRETO : Tem havido interesse em vários peptídeos gastrointestinais ou fatores de crescimento que possam facilitar a hipertrofia pilórica. Alguns deles incluem excesso de substância P, diminuição das neurotrofinas, deficiência de óxido nítrico sintase e hipersecreção de gastrina.
C. hipersecreção de neurotrofinas
INCORRETO : veja a resposta da alternativa B
D. excesso de óxido nítrico sintase
INCORRETO : veja a resposta da alternativa B
E. todas acima enumeradas
INCORRETO : veja a resposta da alternativa B

Gabarito:  B

AVALIE ESSA QUESTÃO: (5)
DISCURSIVA: (91557 votos) ..........100% das questões discursivas receberam votos.
1) Enumeram 2 anormalidades estruturais cardíacas que podem evoluir com síncope cardiogênica por mecanismo obstrutivo. - 0,125 pontos
2) Enumeram 3 causas de sincope neurogênica. 0,1875 pontos
3) Apontam 3 situações em qual a síncope deve ser encaminhada ao cardiologista ou neurologista. 0,1875 pontos


RATING: 2.51

1) Enumeram 2 anormalidades estruturais cardíacas que podem evoluir com síncope cardiogênica por mecanismo obstrutivo. - 0,125 pontos
2) Enumeram 3 causas de sincope neurogênica. 0,1875 pontos
3) Apontam 3 situações em qual a síncope deve ser encaminhada ao cardiologista ou neurologista. 0,1875 pontos

1) Enumeram 3 anormalidades estruturais cardíacas que podem evoluir com síncope cardiogênica por mecanismo obstrutivo.
Isso acontece quando algum defeito obstrua o enchimento ou, pelo contrário, o esvaziamento ventricular.0,0625 p cada uma

  • estenose aórtica grave
  • cardiomiopatia hipertrófica obstrutiva
  • estenose pulmonar
  • estenose mitral
  • tamponamento cardíaco
  • hipertensão pulmonar primária
2) Enumeram 3 causas de sincope neurogênica.

SINCOPE NEUROPSIQUIATRICA

  1. Epilepsia 0,0625 p
  2. Enxaqueca 0,0625 p
  3. Distúrbios psiquiátricos 0,0625 p
3) Apontam 3 situações em qual a síncope deve ser encaminhada ao cardiologista ou neurologista.(0,0625 p cada uma da lista abaixo)
  • Síncope desencadeada por exercícios
  • Síncope associada à dor no peito ou palpitações
  • Qualquer anormalidade cardíaca detectada no exame físico ou ECG
  • História familiar de morte súbita
  • História familiar de epilepsia
  • Qualquer anormalidade neurológica aguda ou residual
  • Episódio inexplicável de síncope
  • Síncope recorrente

FONTE:
SINCOPE NA CRIANÇA

AVALIE ESSA QUESTÃO: (2.51)

CASO CLINICO: (96726 votos)..........100% dos casos clinicos receberam votos.
Paciente do sexo masculino com 38 anos de idade refere dor epigástrica em queimação há 3 semanas, com piora associada a alimentação. Nega disfagia,vômitos e outros sintomas associados. Sem antecedentes patológicos dignos de nota não faz uso de nenhuma medicação.
Exame Físico: B. E. G., corado, hidratado, anictérico, acianótico.
PA: 120/70 mmHg; FC: 80 b.p.m; Ap. Resp.: MV+, sem RA, Ap CV: 2BRNF, sem sopros.
Abdominal: Plano, flácido, dor discreta á palpação de epigástrio, descompressão brusca negativa, sem visceromegalias e massas palpáveis.
1) Qual é o diagnóstico do paciente? (0,25 pontos)
2) Qual é a conduta mais adequada inicialmente? (0,25 pontos)



RATING: 2.98

1) Qual é o diagnóstico do paciente?
Síndrome dispéptica ou dispepsia. (0,25 p)
Discussão: Paciente com sintoma dispéptico de epigastralgia em queimação,sem apresentar sinais de alarme como disfagia, icterícia, sangramento, anemia, alterações de exame físico sugestivos de doença maligna, que indicariam a realização de endoscopia digestiva alta, apresenta ainda idade menor que 50 anos de idade que seria outra indicação da realização do procedimento. O paciente pode apresentar diagnóstico de doença ulcerosa péptica com estes sintomas, mas sem apresentar sinais de alarme pode ser manejado de forma conservadora neste momento.
2) Qual é a conduta mais adequada inicialmente? (0,25 p)
Sugerir modificações de hábitos e introduzir bloqueador H2 para tratamento da dispepsia.
Discussão: Paciente sem sinais de alarme não tendo indicação de realizar endoscopia digestiva alta, podemos orientar modificações de hábitos de vida como diminuição de ingesta de álcool e café e procurar observar quais alimentos desencadeiam com maior freqüência estes sintomas.
Os bloqueadores H2como a ranitidina podem ser usados em doses de 150 mg, 2 vezes ao dia por 2-4 semanas. O uso de bloqueadores de bomba de prótons é uma opção, embora não tenha sido demonstrado sua superioridade em relação aos bloqueadores H2 e por seu maior custo não deve ser utilizado.

AVALIE ESSE CASO CLINICO: (2.98)

 

1390 USUARIOS INSCRITOS

277 PROVAS FEITAS POR ASSINANTES

725 RECADOS DOS VISITANTES

NOSSO BANCO DE PROVAS TEM:
7877 QUESTÕES OBJETIVAS, PRECISAMENTE:

1858 DE CLINICA, 3577 DE PEDIATRIA, 1303 DE CIRURGIA, 234 DE OBSTETRICA-GINECOLOGIA, 654 DE SAUDE PUBLICA
118 QUESTÕES DISSERTATIVAS E 140 CASOS CLINICOS

Todos os direitos reservados. 2020.
O site misodor.com está online desde 04 de novembro de 2008
O nome, o logo e o site misodor são propriedade declarada do webmaster
Qualquer conteudo deste site pode ser integralmente ou parcialmente reproduzido, com a condição da menção da fonte.